Blog

Qual a diferença entre Simples, Lucro real e Lucro presumido? - EM: Novidades

Em: Novidades Comentários: 0 Autor: Gabriel Data: 14 Jul 2016
completa-ou-simplificada-qual-o-melhor-modelo-de-declaracao-de-ir-para-voce-1

Qual a diferença entre Simples, Lucro real e Lucro presumido?

 

Anualmente uma decisão importante tem que ser tomada pelos administradores de empresas: Qual modalidade de apuração usar no imposto de renda?

Isso porque o imposto de Renda Pessoa Jurídica e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido permitem três formas de apuração:

* Lucro Real
* Lucro Presumido
* Simples Nacional

Mas é preciso saber quando usar cada uma delas e qual a adequada a cada porte e modelo de empresa:

Lucro Real

A modalidade de Lucro Real permite a coleta mensal para ajuste anual e a coleta trimestral do cálculo do lucro:

* Na modalidade Anual, os tributos são pagos mensalmente. Esse valor não é calculado sobre o lucro do mês, mas sobre valores que já são estabelecidos conforme o porte da empresa e suas atividades, ou seja: é calculado sobre uma estimativa de lucro. Se a empresa desejar, pode fazer balancetes mês a mês e se comprovar que ela está trabalhando em prejuízo fiscal ela pode pedir a suspensão ou a redução do pagamento de IRPJ e CSLL. No fechamento do exercício, ou seja, ao final do ano, é feito o cálculo do lucro do período e então o ajuste dos valores pagos.

* Na modalidade trimestral, não é pago nada a título de antecipação mensal. A empresa faz o fechamento de quatro exercícios durante o ano e faz o pagamento relativo a cada um deles. Se sua empresa apresenta resultados semelhantes durante todo o decorrer do ano, esse é um bom modelo de apuração. Mas para empresas com atividades sazonais (que tenham picos de vendas durante um período específico) ela não é tão aconselhável, pois os lucros de um período podem não cobrir os prejuízos de outro e a empresa acaba pagando mais, sem considerar depois o prejuízo que ocorrerá.

Lucro Presumido

A modalidade de Lucro Presumido é coletada trimestralmente e as alíquotas a serem pagas dependem da atividade. Há uma margem de lucro que é previamente presumida para as diferentes atividades e essa pode ser uma vantagem para as empresas que podem operar com o lucro presumido (não são todas, isso é determinado pelo objeto social da empresa e pelo faturamento do ano anterior). Essas empresas acabam utilizando alíquotas mais baixas e por isso não podem utilizar os créditos do PIS e da COFINS.

Simples Nacional

A grande quantidade de pequenas empresas que o nosso país abriga, bem como a simplicidade e a redução de vários tributos tornam o Simples muito atrativo. Mas ele só pode ser utilizado por empresas com faturamento anual de até 3,6 milhões. Lembrando que os profissionais liberais precisam ter cautela na escolha do Simples, pois podem acabar saindo no prejuízo: as alíquotas são mais altas e também são progressivas e os tributos reduzidos dizem respeito ao corpo de funcionários, ou seja: Se uma clínica ou escritório não abriga nenhum ou quase nenhum funcionário, essa economia não vale pra ela.

Assim, atente-se para o seu exercício, tenha conhecimento de seus lucros e de seu resultado financeiro e faça cálculos antes de decidir qual modalidade usar!

Agora que você conhece um pouco melhor sobre os lucros que tal inscrever-se em nossa newsletter e ser o primeiro a saber das novidades que irão surgir no ERP Task?

Guia básico de impostos para pequenas empresasComo (e porquê) fazer o fechamento de caixa da sua empresa

Deixe um comentário